• kikoms

Referência nacional, Bonito tem melhor resultado no ecoturismo desde 2016



Eleito pela 16ª vez o Melhor Destino de Ecoturismo do Brasil, Bonito recebeu no ano passadEo o maior número de turistas desde 2016 e um recorde na quantidade de passeios visitados, de acordo com o Observatório do Turismo.


Foram mais de 209 mil turistas e 711 mil passeios em 2019. O crescimento no número de viajantes e de visitas aos atrativos turísticos, em 2019, foi de, respectivamente, 4,15% e 12,69%.


E mais, nunca foi registrado tantos turistas em Bonito no mês de janeiro como neste ano: 28.666. Mais de 80% dos turistas são brasileiros, principalmente de São Paulo (40%), Paraná (11%) e Rio de Janeiro (10%).


Bonito tem recebido diversos investimentos do Governo de Mato Grosso do Sul, em parceria com prefeitura e governo federal, como a revitalização do aeródromo, para garantir mais segurança aos passageiros e tripulantes e atrair novos voos; e a pavimentação da Estrada do Curé, trecho de 17 quilômetros da rodovia MS-178 até Jardim, ligando os dois destinos turísticos.


Nos 14 quilômetros seguintes, entre o aeroporto e a entrada do município, o asfalto foi refeito, ganhou uma ciclovia e a iluminação foi reforçada.



Mais investimentos estão vindo: a restauração da MS-382, entre Guia Lopes da Laguna e Bonito, e a implantação do asfalto na MS-382, até a Gruta do Lago Azul, um dos principais cartões postais do município.


Outras rotas


Os investimentos do Governo do Estado também estão em outras rotas turísticas como na implantação da MS- 423, entre Rio Verde e Coxim (da Fazenda Morrinho até a Conceição), em uma extensão de 65 quilômetros.


E no cascalhamento dos 40 quilômetros da MS-228, da Curva do Leque até a fazenda Alegria, que já foi entregue. Trata-se de uma benfeitoria sonhada há décadas pelos pantaneiros da Nhecolândia, importante região de pecuária e turismo do Pantanal.


Voando alto


Para o diretor-presidente da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul, Bruno Wendling, o fluxo de turistas é impactado por diversos fatores como o momento da economia, cotação do dólar, ações de promoções de marketing e aumento de voos.


Apesar do turismo de negócio ainda atrair mais pessoas a Mato Grosso do Sul, o foco das campanhas publicitárias no Estado é o ecoturismo. Com atrativos como o Pantanal e as belezas da região Bonito-Serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul conta com paisagens naturais sem igual, rios de águas cristalinas, praias de águas doces, cachoeiras, cavernas, grutas, dolinas e abismos.


A região é destino de ecoturismo, aventura com preservação ambiental, gestão pública focada na sustentabilidade e capacidade de carga controlada. “A natureza é o nosso carro-chefe. Não queremos turismo de massa, queremos de mais qualidade”, explicou Wendling.



Para estimular a oferta de voos comerciais, fomentar o turismo regional, aumentar o número de passageiros e cargas nos aeroportos e promover a economia e o crescimento da cadeia produtiva do turismo, o governo instituiu, em junho de 2019, o Decola MS, um programa que reduz a alíquota do ICMS sobre o querosene de aviação para valores entre 12% e 1,41%, conforme o número de voos efetivamente realizados.


A política de atração de novos voos já começa a dar resultado. A Voepass Linhas Aéreas (antiga Passaredo) anunciou a expansão de suas operações em Mato Grosso do Sul com novos voos ligando Três Lagoas ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e também a Campo Grande. As novas rotas iniciam em 29 de março.




(Subcom)



2 visualizações
728X90.gif

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 Blog Kiko Cangussu