• kikoms

Ronaldinho Gaúcho: o que se sabe e o que está sem respostas no caso do passaporte adulterado



A acusação de que Ronaldinho Gaúcho entrou no Paraguai com suposto passaporte adulterado para entrar no Paraguai levanta algumas questões. Na manhã desta quinta-feira, ele e o irmão Assis prestaram depoimento às autoridades locais para esclarecer alguns pontos. Mas outros ainda estão sem respostas. Confira abaixo o que já se sabe do caso e as perguntas ainda não respondidas:


- Como Ronaldinho Gaúcho saiu do país? No embarque para Assunção, no Paraguai, Ronaldinho e Assis apresentaram documentação brasileira no Aeroporto de Guarulhos. O passaporte do astro chegou a ser apreendido no ano passado por uma ação judicial. Porém, em acordo com o Ministério Público, em setembro de 2019, ele recuperou o documento.


- Como ele entrou no Paraguai? No aeroporto de Assunção, segundo Assis, eles receberam os documentos das mãos do empresário Wilmondes Sousa Lira, que o representa no país vizinho. De acordo com as autoridades, foi com esse passaporte, de origem paraguaia, que ele passou na imigração paraguaia. Eles também receberam identidades paraguaias.


- Por que suspeitaram da autenticidade do passaporte? Os documentos verificados na imigração mostraram que os nomes não batiam com os referentes aos números dos passaportes que constavam no banco de dados local, que são de duas senhoras.


- Ronaldinho e Assis deram entrada em na dupla cidadania (brasileira e paraguaia)? De acordo com autoridades locais, não há pedidos recentes de naturalização paraguaia. Os passaportes datam de janeiro deste ano e o processo tem duração média de 1 a 2 anos. Quem pode obter a cidadania:  por habilitação de diploma de curso superior, investimento local, descendência ou se casar com um cidadão paraguaio.


-Por que eles não foram detidos ainda no aeroporto? Segundo o Diretor de Migrações, Alexis Penayo, a adulteração foi verificada na imigração ao meio-dia. O caso foi informado ao ministério do Interior e à Diretoria de Imigrações. As informações foram ignoradas, segundo Penayo. Apenas à noite, a polícia foi ao hotel recolher os documentos.


- Por que Ronaldinho não usou a documentação brasileira ao entrar no Paraguai? Pelo acordo do Mercosul, os cidadãos dos países membros não precisam de passaporte na circulação entre os países. Portanto, bastava apresentar a identidade brasileira.


- O que Ronaldinho foi fazer no Paraguai? Na programação do ex-jogador, estava o lançamento do livro "Gênio da vida" e a participação do lançamento de um programa social destinado a crianças organizado pela Fundação Fraternidade Angelical.


- Por que Ronaldinho Gaúcho recebeu escolta policial ao chegar ao país? Ao chegar em Assunção, Ronaldinho foi escoltado pela polícia local a pedido do Grupo Beck. A empresa solicitou duas motos e uma patrulha para acompanhar o ex-jogador durante sua estadia no Paraguai até o dia 7 de março. Sem investigar as empresas envolvidas no pedido, a polícia considerou que era viável fazer a segurança de uma pessoa pública como Ronaldinho.


O que aconteceu no hotel? A polícia foi até o hotel onde Ronaldinho e Assis estão hospedados na noite de quarta-feira  e recolheu toda a documentação (passaportes e identidades) e os celulares. Eles não chegaram a ser detidos, mas se comprometeram a depor na manhã desta quinta-feira. Já  o empresário Wilmondes Sousa Lira, que deu a eles a documentação, saiu preso do hotel.


Quem é Dalia López?  A empresária faz a intermediação de negócios nas áreas da agricultura, comércio e de alta tecnologia envolvendo o Mercosul. No entanto, as movimentações financeiras de Dalia levantaram suspeitas e ela é investigada por contrabando de produtos chineses. Ano passado, ela fundou a Fraternidade Angelical, voltada para crianças carentes. Ronaldinho lançaria ao lado dela o projeto "Saúde Móvel de Meninos e Meninas", que vai percorrer o país oferecenco assistência médica gratuita em diferentes áreas.




(O Globo)

0 visualização
728X90.gif

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 Blog Kiko Cangussu