Diretor abandona novela no meio e tem futuro incerto na Globo

March 24, 2016

Um dos principais diretores de novelas da Globo, Wolf Maya, 62 anos, tem futuro incerto na emissora, na qual trabalha há 37 anos. Maya está na geladeira desde meados do ano passado. Seu contrato vence no início do ano que vem e não deve ser renovado, aposta-se internamente. A Globo já tem um planejamento de todos os diretores e autores de novelas, séries e minisséries até o início de 2018. Maya não está em nenhuma delas.

 

O motivo da "desgraça" do diretor é um dos segredos mais bem guardados dentro da Globo. O Notícias da TV apurou que está relacionado ao último trabalho de Maya, a novela I Love Paraisópolis. Então diretor de núcleo, o cargo mais alto da produção, Maya teria se desentendido com a cúpula da Globo sobre o encaminhamento da trama. O diretor teria abandonado a novela das sete pela metade, deixando-a sob o comando do codiretor-geral, Carlos Araújo. Segundo atores e profissionais da produção, Maya desapareceu do Projac e ficou meses sem dar as caras nos estúdios da novela.

 

O departamento de comunicação da Globo nega crise com o diretor. Diz que Wolf Maya pediu um período sabático e foi atendido. O Notícias da TV tentou falar com o diretor nos últimos dois dias, sem sucesso. Em entrevistas recentes, Maya também disse que está em período sabático, se dedicando a uma peça em cartaz no Rio.

 

Segundo uma alta fonte na Globo, no entanto, Maya não está em licença remunerada ou não remunerada. Ele está mesmo é afastado das funções de diretor artístico, como os diretores de núcleo agora são chamados, e, no momento, não faz parte dos planos futuros da emissora. 

 

Maya está na Globo desde 1979. Estreou como ator, em Memórias de Amor, uma novela das seis. Atuou em outras 13 produções, mas foi como diretor que se destacou. Estreou atrás das câmeras em 1982, em Ciranda de Pedra. No ano seguinte, já assinava a direção geral de uma novela das oito, Louco Amor. Depois, trabalhou em tramas memoráveis, como Mulheres de Areia (1993), A Viagem (1994), Hilda Furacão (1998) e Senhora do Destino (2004). Sua última novela das nove foi Amor À Vida (2013), da qual fez apenas a direção de núcleo (a direção-geral foi de Mauro Mendonça Filho).


 

Please reload

RSS Feed